sexta-feira, 19 de agosto de 2011

O PAPEL DO GESTOR COM NOVAS ATITUDES E PRÁTICAS INOVADORAS.


O PAPEL DO GESTOR  COM NOVAS ATITUDES E PRÁTICAS INOVADORAS.
Os governos de esquerda formularam coletivamente boas gestões com a prática de inverter prioridades sempre olhando os mais pobres, chamando o povo a ser o ator principal dos seus governos através da participação popular.
As principais marcas de um bom gestor público devem ser:
1.       Políticas públicas integradas que visem atender a população mais carentes, buscando dar o que lhe é de direito.
2.       Fortalecimento dos serviços públicos com a valorização dos servidores e dos órgãos do município.
3.       Governos transparentes com prestação de contas do ponto de vista financeiros e orçamentários.

É evidente que num Estado do tamanho do Pará, com grandes diferenças regionais, um bom gestor deve se adaptar às condições e à realidade do município e do seu povo, dando a este atenção permanente. Este sim é o papel de um bom gestor. Isto faz com que seja bem visto, diferente dos outros gestores e modelos atrasados de governar.

O BOM GESTOR FAZ A DIFERENÇA NA FORMA DE GOVERNAR

No caso de um município como Monte Alegre precisa pensar além das questões eleitorais e eleitoreiras. A eleição é apenas a primeira etapa de um processo que visa mudar a vida de quem realmente acredita nas transformações que podemos vir a construir em conjunto com o povo e não simplesmente com uma minoria que governa há anos e se esqueceu de olhar para a vida da população.

Fazer apenas um bom governo não deve ser a meta de um bom gestor. Devemos fazer mais do que isso. Devemos lutar para mudar a vida daqueles que acreditam no nosso projeto.

O QUE É FAZER A MUDANÇA NA VIDA DAS PESSOAS?

 Sempre que se aproximam as eleições ouvimos frases como:
“Quem não tem dinheiro não se mete na politica”.
“Devemos fazer ações boas somente perto da eleição”.
“Ele rouba, mas faz”.
“Politico é tudo igual”.

Essas frases são daqueles que durante anos governaram com praticas da direita e de uma elite com ideologia burguesa que usaram e usam o poder público como algo privado, ou, melhor dizendo, como sendo deles.

Fazer mudança significa não privatizar ou terceirizar os serviços públicos mais importantes, ter uma gerência com prestação dos serviços públicos para a população, principalmente para os que mais necessitam. Um bom exemplo foi o governo Luiz Inácio Lula da Silva, o filho do Brasil.

Precisamos mudar e fazer o que é mais importante. Uma mudança cultural na forma de governar. Sim, ainda é possível servir as pessoas. É fundamental instituir mecanismos de controle e participação social, acabar com a pobreza e a fome, gerar empregos e oportunidades, fortalecer os serviços públicos e entidades com caráter social. O mais importante e essencial para mudar vida da população de Monte Alegre é mudar a forma de fazer. Fazer diferente dos nossos adversários, que compram votos, enganam o povo, usando recursos públicos em seu próprio benefício e de seus aliados.

COMO  FAZERMOS PARA MUDA A VIDA DAS PESSOAS ?

Não é hora de fazermos nenhuma avaliação sobre a atual gestão ou as que passaram, mas devemos sim fazer um balanço das nossas atuações, a forma como agimos e aplicamos os recursos públicos, sejam oriundos do nível  Federal , Estadual ou municipal.

É no governo municipal que as coisas acontecem. Não devemos nos esquecer disso, pois onde o PT governou sempre executamos não somente teorias, mas vivenciamos na prática a participação da população que nos elegeu, seja nos governos, mandatos, sindicatos e outras associações em que atuamos .

O governo do operário Lula foi muito importante, pois construímos e avançamos nas políticas sociais e na área econômica como nunca antes na história do Brasil. Com a eleição da companheira Dilma, a primeira mulher a governar este país, mantermos o  Brasil no rumo certo do desenvolvimento.

Infelizmente, aqui no Estado do Pará nosso projeto politico sofreu uma derrota, pois havia dificuldade de diálogo entre partido e governo, no que diz respeito a acompanhar as ações do governo e o partido capitalizarem as mesmas. As alianças feitas com partidos que nunca romperam com a velha política do coronelismo, do ‘toma lá da cá’, se mostraram frágeis no decorrer do nosso governo e principalmente durante  a campanha. A acomodação de quem ocupava cargos dentro do governo e que deixou de participar das lutas travadas no dia a dia em prol do povo foi um dos elementos que levaram ao retorno do PSDB e seus aliados, que durante anos massacraram o povo do Pará.

Essa é uma daquelas derrotas que devemos aprender e não tentarmos achar culpados. Temos que usar esse revés para nos preparar para o ano que vem, com  uma nova linha de ações políticas claras e definidas com nossos militantes e simpatizantes em conjunto principalmente com os diretórios municipais e estadual, mas sem esquecer principalmente a população e os anseios dos que realmente querem mudar.



O QUE QUEREMOS É SOMENTE ELEGER UM (A) PREFEITO (A)?

O que realmente queremos é mostrar que podemos fazer mais e muito melhor do que o atual prefeito, e que as nossas práticas são superiores e transparentes, com gestão democrática e popular. Precisamos ser mais ousados no que diz respeito a linha política que iremos adotar para o município de Monte Alegre. Temos que ter sempre a ética como bandeira na forma de governar. Devemos manter ou adaptar o que for bom das gestões passadas em prol do povo, e fundamentalmente, olhar para as comunidades,  respeitando seus conhecimentos e características culturais,  gerando políticas públicas que atendem os anseios do que realmente fazem este município.

Temos que ter a clareza que isso não é um manual que devemos seguir e pronto, como mágica, resolveremos todos os problemas de Monte Alegre. Mas são diretrizes  que nortearam o nosso governo e sua gestão democrática. Podemos  dar como exemplo algumas diretrizes que deram certo em municípios  que governamos como:

1- Gestão com canal permanente que dialoga com o povo seja através do O.P
 (Orçamento Participativo), P.P (Planejamento Participativo) ou ainda P.T.P ( Planejamento Territorial Participativo). Além dessas experiências, existem os fóruns de conselhos setoriais  ou plenárias com a população para decidir os rumos do município.

2- Gestão com práticas inovadoras com transparência na utilização dos recursos públicos, com criação de mecanismos anticorrupção e visando sempre o bem da população que irá lhe confiar o mandato com a missão de mudar a vida do povo. Instrumentos de controle social são fundamentais para um governo sério, com ética e bom senso junto ao povo.

3- Um governo democrático tem a obrigação de ser melhor do que os governos passados. Deve mostrar a que veio, informando suas ações e os planos de seu governo, cumprir as promessas de campanha, ter uma comunicação que faça a informação chegar ao povo sem distinção, utilizando modos que sejam dinâmicos como rádios, informativos, internet, mas principalmente o olho a olho. A presença do gestor em periódicos encontros com a população é salutar para um governo democrático.

4-Um governo tem a obrigação de qualificar os servidores públicos com políticas de reajuste, mas, o mais importante é o respeito a esses servidores, com mesa de negociação permanente mostrando a realidade em que se encontram os cofres públicos. Isso coloca essa categoria do lado do nosso projeto. Não terceirizar os serviços públicos básicos essenciais ao povo de Monte Alegre deve ser uma das premissas desse projeto político.

5- O nosso governo tem que respeitar os movimentos sociais, seus espaços de construção e forma de atuar diferentes, pois são os movimentos  sociais que organizam o povo. São eles que lutam e pressionam os governos, principalmente os de esquerda .
Devemos administrar bem a relação entre o que é público e  privado, do orçamento, a lei de responsabilidade fiscal com o desejo do povo e dos movimentos sociais atuantes sem criminalizar ou discriminar os movimentos populares. Essa relação deve ser democrática e harmoniosa, com um novo modo de fazer política, rompendo com as velhas práticas e com a política que isola os movimentos  e nosso povo.

6- Nosso próximo gestor tem que ser moderno, assim como seus secretários, trabalhar com planejamento e de forma integrada no governo e junto do povo. Tem que utilizar ferramentas e instrumentos que forem necessários para executar as políticas públicas planejadas. Essas políticas têm que ter o acompanhamento e o monitoramento da população, do Poder Legislativo e dos movimentos sociais para o seu devido cumprimento.

7- Devemos agir diferente dos governos passados. Temos obrigação de fazer o que prometemos durante as eleições; temos que mudar o que está colocado de errado, cortando o mal pela raiz no que diz respeito à corrupção; temos que ser incansáveis na luta em prol do povo de Monte Alegre, gerando mais empregos e renda, combatendo toda forma de opressão, a fome e a miséria, as desigualdades   sociais e econômicas, mas acima de tudo garantirmos os direitos básicos regidos pela nossa Constituição Brasileira como: SAÚDE, EDUCAÇÃO E SANEAMENTO.

“ESSAS DIRETRIZES NÃO DEVEM SER APENAS TEORIAS E CONCEITOS. TEMOS A OBRIGAÇÃO DE APRENDER E COLOCÁ-LAS EM PRÁTICA DIARIAMENTE”.

Elizeu das Chagas Souza

Membro da Coordenação Provisória de Combate ao Racismo PT/PA




Nenhum comentário:

Postar um comentário